sexta-feira, 2 de novembro de 2001

Globo, viadagem e feminismo

Bom, nunca fui muito na da globo, saber que uma das três maiores redes de TV aberta do mundo tem uma programação e uma mentalidade tão medíocre não é um motivo pra eu gostar dela. Talvez seja assim por interesses ocultos ligados ao planalto central, mas essa é outra conversa.

O que me deu vontade de sentar na frente dessa tela pra escrever é minha revolta de muito tempo com uma nova característica da globo, a viadagem. Já fui muito revoltado com viado, mas respeitada a devida distância hoje sou mais tolerante. Isso após assistir pela imprensa a condenação de uns SkinHeads que espancaram uma bicha que tava com o... acompanhante numa praça. Um professor comentou que agora esses radicais vão ser feitos de mulherzinha na cadeia... Caralho, como pode isso... melhor é ficar cada um na sua pra não sair no prejuízo... destino cruel tiveram.

Mas cada um na sua. Embora ninguém seja obrigado a mofar no sofá de casa as vezes não há opção e todos correm o risco de acabar na frente da telinha. Então você assiste a um programa humorístico no sábado a noite e vê o tom cavalcante em sua decadente jaqueta de couro ridicularizando todos os homens. Vê também um cara novo mais viado da porra. Quando o cara não é viado, é um velho fazendo faxina na casa, obedecendo e apanhando da mulher, tudo no maior grau de bostificamento. Quando os homens que aparecem não são totais bostas ou viados, estão sendo assediados por duas mulheres, uma burra, mas a outra forte, inteligente, decidida, todas as boas qualidades possíveis, algo que não se vê em nenhum personagem masculino.

Então você muda de canal e encontra outro humorístico entrando nessa maré de viadagem. Maré que começou a muito tempo nas novelas globais. Alguém por favor me diga qual foi a última novela da globo que não tinha uma bicha, viado ou coisa parecida. É inacreditável, essas novelas tem todo tipo de bicha, duas, três na mesma. Logo vai ter novela centrada no mundo bicha. Será que isso é reflexo de alguma coisa lá dentro? Quem sabe seja a exterioração indireta dos desejos dos autores.

O feminismo foi longe demais. Todas as características masculinas por natureza são reprimidas por leis duras ou códigos de ética. Não é de se estranhar que os homens estejam ficando para trás no mercado. O mundo anda uma putaria, uma disputa e concorrência sem limites, sem motivo e sem fim. Antigamente as pessoas trabalhavam para ter uma vida confortável com suas famílias. Hoje a família é um empecilho à busca indiscriminada pelo dinheiro. As pessoas perderam a noção de o que importa. O mundo está se batendo e lutando furiosamente por mercados, suprimindo todos os sentimentos, amizades, família, filhos. Não é de se estranhar porque tanta depressão. Vejam o Japão. tanta riqueza, tecnologia e suicídios. Falta de vida. A alma não foi feita para habitar uma máquina de trabalho e sexo, mas um corpo de carne e osso, imperfeito e limitado.

Toda essa putaria de luta sem motivo e busca de status a qualquer custo são características naturalmente femininas. Enquanto garotos buscam viver, enfrentar desafios, se divertir, ajudando-se mutuamente, as garotas buscam algo que possam usar como demonstração de superioridade em relação as que estão próximas. Essas características estão dominando o mundo. Por conseqüência estão afeminando quem devia ser homem.

O feminismo foi bom até certo ponto, mudou uma realidade desumana em relação as mulheres, mas passou dos limites e está levando a humanidade ao caos. As pessoas chegam a um ponto em que esquecem de viver para apenas trabalhar e ganhar mais. E qual o motivo disso tudo? Dinheiro é bom, mas a partir do momento em que sua busca suprime sua finalidade, passa a ser um problema.

Daniel Coelho, 2/11/2001

obs.: postado em 02/01/2011... incrível, fiquei surpreso ao reler este texto após tanto tempo... abordo assuntos que hoje estão entre meus temas principais... conveniente constar que tinha 17 anos quando escrevi este texto...

domingo, 7 de janeiro de 2001

Vida Natural

obs.: texto escrito a 10 anos... em 2001:

Quando minha cachorra era viva eu sempre tive pena de ver a tristeza que ela tinha quando ficava olhando o movimento na rua atras do portão ou parada na porta da sala. Uma boxer, cachorro que gosta de ambientes abertos como uma fazenda. Os cachorros do meu avô viviam em um sítio e nunca os vi com aquele jeito frustrado, apesar de dormirem muito, como minha cachorra. Mas ela nunca esteve num ambiente assim. O mais aberto onde ela esteve eram as ruas asfaltadas do bairro.

Muitas pessoas têm em casa tartarugas, macacos e outros animais. Acho isso bom, pois só tem esses animais em casa quem gosta deles, portanto irão tratá-los bem e procurar se informar sobre alimentação e tal. Um ambiente aberto e tal. Melhor do que em um zoológico, trancados em jaulas observando o mundo lá fora sem poder sair, a vida inteira. A vantagem é que estão com outros de sua espécie. Mas o maior absurdo é manter leões, girafas e outros animais de grande porte, e mesmo pequenos como aves ou animais aquáticos.

As pessoas só se preocupam com alguma coisa quando estão dentro do problema ou já passaram por aquilo e sabem como é difícil. Não é fácil se preocupar com um problema que não sentimos na pele. Mas tente imaginar passar dois anos em uma jaula de 10x10 com um computador conectado à internet. Apenas isso. É mais ou menos proporcional à vida que animais selvagens levam em zoológicos, com pouca coisa que dá a eles uma pequena noção de como é a vida fora dali.

Mas consideremos que esses animais em sua maioria nasceram no cativeiro e só conhecem essa vida. Eles não sentem falta da vida selvagem pois não sabem que ela existe. Mas são frustrados pois sentem falta de liberdade e muita coisa que nem sabem o que é. Não sou o primeiro nem o último a pensar nisso, esses animais deveriam estar em seu ambiente natural para serem felizes.

Agora pensemos em um alcóolatra ou um viciado em drogas. Conheci um cara que começou a fumar cigarro e depois maconha. Sempre falando que quer parar mas não consegue. Quando fica três dias sem fumar maconha conta isso com orgulho. Mas o cérebro se acostumou com o prazer limitado que tais substâncias proporcionam e não quer largá-las. Outro problema que temos, ao contrario de viciados, que percebem que sua saúde está se deteriorando, as vezes ficamos tão obscecados por fazer ou terminar alguma coisa que perdemos a noção dos problemas que podemos ter, como um trabalho a terminar, um projeto, um garoto ao video-game e outras coisas. Só quem está de fora percebe a furada em que estamos.

Lembro de uma reportagem sobre naturistas. Uns mais radicais, que se mudaram para uma praia naturista, larguando pra trás a vida estressante em São Paulo. Sem sentir falta de nada. Em um texto muito interessante de Raul Seixas, Anarkland, onde ele fala sobre um pequeno país de dez mil habitantes que vivem na mais pura anarquia. Sem polícia, pois não há ladrões, pois não há dinheiro. Todos vivem felizes trabalhando em comunidade, sem toda a tecnologia do resto do mundo. Para o repórter que fez uma "entrevista" com um dos moradores, tudo era um absurdo. Já o morador pensava da mesma forma antes de experimentar, e não quis mais sair de lá. Aqui vai um trecho:

- Sr. Lemmiuns, o senhor não sente falta de ir a um cinema? Eu soube que não há nada assim por aqui. Diversões públicas...
- Ah, ah, ah. Já fui muito fã de cinema quando eu morava na cidade... mas isso já faz muito tempo. Era quando eu era infeliz, e o cinema foi feito pra uma breve descarga de tristeza em troca de algumas risadas ou entretenimento. Como eu já não sofro, não preciso de palitativos tipo cinema, vê? O sistema autoritário é mais monstruoso do que se imaginava; a busca de desejos, vitrinas, se formar, ser rico, tudo isso não passa de uma tola fuga de infelicidade.

Pensou bem nisso? Blz.

Neste momento faz um mês que estou de férias na escola. Estou totalmente cansado por ficar em casa ou com a turma tomando tereré e conversando. Pode ser legal, mas de vez em quando. Ficar assim cansa mais a cabeça do que durante as aulas. E eu estudo de manhã e a noite em outra cidade. O que também cansa. Não sou o único cansado desse marasmo das férias, que todos esperam durante seis meses. Falta alguma coisa, mas não me lembro de nada que pudesse estar fazendo. Viajar é legal, mas por estar em um lugar desconhecido, com coisas novas. Mas quanto mais tempo você passa nesse lugar novo, menos interessante ele é.

Tudo cansa. Mas será que nós conhecemos tudo? Como é bom deitar ao ar livre e esquecer de tudo olhando para o céu. Toda vez que vejo um animal preso, como um cachorro no quintal limitado de uma casa, penso como seria bom para ele estar em seu habitat natural. Mas ele não deve sentir falta de tal ambiente, pois não o conhece. Assim como nós não conhecemos. Hoje é impossível imaginar a humanidade em outro habitat que não o concreto e tijolos, na segurança. Quem sabe não seja esta a causa daquele sentimento de "falta alguma coisa, mas não sei o que é".

Daniel Coelho, 7/1/2001

postado em 20/04/2011

obs.: sigo essa linha de pensamento nos seguintes textos:

Selvagens na Jaula
As vezes esqueço que o bicho homem considera uma ofensa ser chamado de animal.

Manifesto pela Natureza Humana
Culturas criam regras artificiais para combater a natureza humana. É feio ser diferente.

Anarkland, texto de Raul Seixas
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

postagens mais lidas da semana

Foro de São Paulo + Marxismo Cultural = Golpe Comunista



vídeos no youtube

Partido Nazista no Brasil, Socialismo e Comunismo - Daniel Coelho
BOLSONARO FALA EM VEADOS E CITA DATENA
PALAVRA ABERTA - COMISSÃO DA VERDADE - Jair Bolsonaro
Entrevista com o Cabo Anselmo no Canal Livre da TV Bandeirantes (1/9)
Entrevista com o Cabo Anselmo ao Dextra
Julio Severo concede entrevista exclusiva ao Dextra
Destruindo chavões socialistas - Leonardo Bruno
Mitos do liberalismo e socialismo - Filipe Altamir
10 anos da morte de Celso Daniel do PT. Lucia Hippolito para rádio CBN
O PT quer dar um Golpe no Brasil - Reinaldo Azevedo pt 1/2
O PT quer dar um Golpe no Brasil - Reinaldo Azevedo pt 2/2
Silas Malafaia em audiência do PLC 122 em 29 de novembro de 2011
O Drama da Mulher Moderna - Padre Paulo Ricardo (01/02)
O Drama da Mulher Moderna - Padre Paulo Ricardo (02/02)
Yuri Bezmenov - Marxistas, os idiotas úteis
Yuri Bezmenov - A corrupção moral da sociedade pelos Marxistas
Yuri Bezmenov - A corrupção moral da sociedade pelos marxistas - II


Olavo de Carvalho

Conselho de Olavo aos Brasileiros - Fujam do mundo melhor !!!
A Diferença entre Socialismo e Comunismo
Caetano Veloso e intelectuais de esquerda acordam para projeto totalitário do PT
O PT e o Desarmamento do Brasil
Governo, Farc e Foro de S. Paulo (prof. Olavo de Carvalho)
O Foro de São Paulo e o Neo-Comunismo
True Outspeak - Terrorismo e Foro de São Paulo
Ódio Esquerdista, Vitimismo Negro e Coitadismo Feminino
Escravidão, etnias, miscigenação, cotas raciais, racismo — TO 02/12/09
O COMUNISMO NO BRASIL É INEVITÁVEL!
Olavo de Carvalho explica o comunismo completamente (Parte 1)
Olavo de Carvalho explica o regime militar brasileiro
Casamento gay e Caos Jurídico no Brasil
Olavo de Carvalho - O COMUNISMO NO BRASIL É INEVITÁVEL!
Olavo de Carvalho Explica Porque Esquerdista não é Igual a Pessoa Normal